Cogumelos Alucinógenos      Cogumelos Alucinógenos      Cogumelos Alucinógenos      Cogumelos Alucinógenos      Cogumelos Alucinógenos
Frutas do Brasil    

COGUMELOS ALUCINÓGENOS:


Informações:
COGUMELOS ALUCINÓGENOS
São muitas as drogas extraidas da natureza, principalmente das plantas, o cogumelo é um dos mais conhecidos.
Estas plantas foram encontradas pelos nossos ancestrais que, ao sentirem os efeitos mentais das mesmas, passaram a considerá-las como "plantas divinas", ou seja, que faziam com que as pessoas que as ingerisse, recebesse mensagens espirituais.
Assim, até nos dias de hoje, em culturas indígenas de vários países, o uso destas plantas alucinógenas possui significado religioso.
O cogumelo é um dos alucinógenos naturais mais conhecidos e, infelizmente, muito usado por jovens, que procuram o fungo para ter "viagens", que podem não ter volta.
Com novas tecnologias, várias substâncias foram sintetizadas em laboratório e, assim, além dos alucinógenos naturais, atualmente têm importância também os alucinógenos sintéticos, dos quais o LSD-25 é o mais representativo.

O uso de cogumelos tornou-se famoso no México, onde, desde antes de Cristo, já era utilizado por esse povo. Desta forma, hoje sabe-se que o "cogumelo sagrado" é usado por alguns pajés.
Ele recebe o nome científico Psylocybe mexicana e dele pode ser extraído substância de poderosa ação alucinógena, a psilocibina.

O vinho conhecido popularmente de Jurema é preparado à base de planta brasileira Mimosa hostilis, usado pelos remanescentes índios. A Jurema sintetiza uma forte substância alucinógena, a dimetiltriptamina ou DMT, responsável pelos efeitos.
Mescal ou Peyolt
Trata-se de um cacto, usado desde tempos passados na América Central, em rituais religiosos. Este cacto produz a substância alucinógena mescalina.
Caapi e Chacrona
Essas duas plantas alucinógenas são usadas conjuntamente sob forma de bebida que é consumida no ritual do Santo Daime ou Culto da União Vegetal e várias outras seitas. As alucinações produzidas pelas bebidas são chamadas de miragens e os guias destas religiões procuram "conduzí-las" para dimensões espirituais.
Atropa belladona
A Atropina é encontrada em grandes quantidades na Atropa belladona, uma planta nativa da Europa que está se alastrando pelos Estados Unidos. Os Hyoscyamus niger contém altas quantidades de escopolamina.

Os alucinógenos não induzem à dependência, assim, a repetição do uso dessas substâncias tem outras causas e não os sintomas da abstinência.
Os cogumelos e as plantas alucinógenas induzem a alucinações e delírios, porém, vale ressaltar que estes efeitos são muito maleáveis, ou seja, dependem de várias condições como sensibilidade, personalidade, presença de outras pessoas, ansiedade que a pessoa tem sobre seus efeitos, etc.
As reações psíquicas são ricas e variáveis. Às vezes, elas são agradáveis e a pessoa se sente recompensada pelos sons incomuns, cores brilhantes e pelas alucinações.

Em outras ocasiões, os fonômenos mentais são desagradáveis, as visões são terríveis, ocorrem sensações de deformação do próprio corpo, certeza de perigo, etc.
Estas alucinações, tanto as consideradas boas, quanto más, podem ser determinadas pelo ambiente, pelas preocupações anteriores e principalmente por uma pessoa ao lado. Esse é o papel do "guia" nos vários rituais religiosos, que, com o ambiente, cânticos e outros fatores são capazes de conduzir os efeitos mentais para o lado desejado.
Os sintomas físicos são pouco, pois são alucinógenos. Pode aparecer dilatação das pupilas, suor excessivo, taquicardia, náuseas e vômitos.
Um dos problemas preocupantes do uso de alucinógenos é a possibilidade da pessoa ser tomada de um delírio forte ou acesso de pânico e, em consequencia, tomar atitudes prejudiciais a si e aos outros.
ALUCINAÇÃO
A palavra alucinação significa, em linguagem médica, percepção sem objetivo, ou seja, a pessoa que está em processo de alucinação percebe coisas sem que elas existam. Assim, quando uma pessoa ouve sons imaginários ou vê objetos que não existem, ela está tendo uma alucinação auditiva ou alucinação visual.
As alucinações podem surgir espontaneamente no ser humano em casos de psicoses, sendo que destas, a mais comum é a esquizofrenia. Também podem ocorrer em pessoas normais (que têm doença mental) que tomam determinadas substâncias ou drogas alucinógenas.
A alucinação e o delírio nada têm de aumento da atividade ou da capacidade mental, ao contrário, são aberrações, pertubações do perfeito funcionamento do cérebro, tanto que são característicos das doenças chamadas psicoses.

Subir

VOLTAR PARA PÁGINA INICIAL  Clic Aqui