Como cultivar Pêras      Cultivo da Pêra      Plantio da Pêra      Plantação de Pêra   Cultivares
    


Informações:

CULTIVO DA PÊRA
Veja abaixo algumas sugestões para o cultivo da pêra: Como cultivar pêra:
A pereira, planta de clima temperado, exige um período de inverno para entrar em repouso hibernal e dias claros e quentes (período vegetativo), para desenvolvimento e frutificação.
Não gosta de regiões com muita umidade, ventos fortes e geadas.

Os solos ideais são areno-argilosos ou argilo-arenosos, profundos e bem drenados, com pH de 6 a 7. Áreas planas ou com declividade até 18%.
Três meses antes do plantio, preparar o solo com subsolagem do terreno incorporando 50% do calcário recomendado. Após, fazer aração profunda e gradagem, aplicando o restante do calcário.
Preparar o solo até 60 cm de profundidade para um bom desenvolvimento do sitema radicular, infiltração da água e do ar.

Abrir as covas 60 x 60 x 60 cm, com até 40 dias de antecedência para aplicação de adubo orgânico e mineral.
Colocar em cada cova: a)20 litros de esterco de curral ou 5 litros de esterco de galinha; b) 1 kg de calcário dolomítico; c)200 a 300 g de fósforo; d)60 g de potássio e 20 a 30 g de bórax.

Adquirir as mudas de viveiristas idôneos, dentro dos padrões exigidos.
Se utilizar mudas de raízes envasadas, o plantio pode ser feito o ano inteiro, se forem mudas de raízes nuas, apenas no inverno.

Plantar em dias nublados e com chuvas, fazer um bom sistema de irrigação, mantendo o solo sempre úmido.
Mudas enxertadas apresentam vantagens para o cultivo comercial, pois são precoces, produtivas e uniformes no pomar.

O espaçamento recomendado na formação de pomares densos é de 7 x 5m a 6 x 3m, e no reduzido 4 x 2m.
Manter o pomar limpo, livre de ervas daninhas, com capinas manuais ou uso de herbicidas.
A pereira frutifica por vários anos, então, não se poda os ramos frutíferos da árvore.
Porém, para acontecer a renovação desses ramos, é necessário fazer o encurtamento e a poda de ramos fracos e velhos.

Podas enérgicas são recomendadas somente no período de formação, quando adultas, a poda em excesso provoca queda de produção.
A pereira não suporta muitas podas, feitas de forma intensa, ficará com vida útil menor e vai demorar mais para iniciar a produção.
A primeira poda, após o plantio, é realizada quando a planta alcança 80 a 100 cm do solo (para forçar a brotação das gemas laterais). No ano seguinte, ela estará com 4 a 5 ramos laterais que partiram do tronco inicial (elimina-se os que estiverem mal posicionados).
A poda de plantas adultas é realizada encurtando-se o tronco para obter novos ramos laterais e tirando os ramos principais ou secundários lacalizados um próximo do outro, entrecruzados e de galhos ladrões.

Assim que estiverem com mais de um metro, o guia principal deve ser controlado e encurtado.
No 2º ou 3º ano, abrir os ramos com auxílio de cordões e estacas, produzindo um ângulo de inserção no tronco de 45º.
Os ramos de produção devem ser inclinados até a posição horizontal com o propósito de produzirem antecipadamente, não concorrendo com os principais.
Se preciso, utilizar produtos químicos específicos para quebrar a dormência, provocando a brotação das gemas.

O desbaste dos frutos deve ser feito após a queda natural dos frutos. Deixa-se 2 a 3 pêras na extremidade do galho terminal e um a dois dos galhos laterais.
Retirar os frutos doentes, fracos e mal formados.

A partir do 3º ano a pereira começa a produzir. A colheita vai do período de dezembro a março, variando da região e da variedade.
Os frutos são colhidos manualmente, quase maduro e acomodados em cestas rasas.