Como cultivar Pêssegos      Cultivo do Pêssego      Plantio do Pêssego      Plantação de Pêssego   Cultivares
    


Informações:

CULTIVO DO PÊSSEGO
Veja abaixo algumas sugestões para o cultivo do pêssego: Como cultivar pêssego:
Se plantado em áreas sílico-argilosos e argilo-silicosos profundas, o pessegueiro, que não é muito exigente quanto ao solo, irá crescer e produzir bem.
Suporta solos argilosos e arenosos desde que sejam profundos.

Regiões com climas frescos, temperaturas médias anuais de 20ºC, são corretas para o cultivo.
Para o plantio, o terreno deve ser preparado no mínimo, 2 meses de antecedência; arados, gradeados e calageados.

O espaçamento convencional é de 7 a 6 metros entre linhas e 5 a 4 metros entre plantas, as covas devem ser abertas com 60 x 60 x 60 cm. Para um bom desenvolvimento inicial da planta, aplicar com antecedência de 40 dias, em cada cova, os seguintes adubos: a)fósforo (200 a 300 g de P205); b)potássio (60 g de K2O); c)bórax (20 a 30 g) e calcário dolomítico (1 kg).
Plantar no inverno, com mudas de raízes nuas ou o ano inteiro com mudas envasadas.
Ao enterrar a muda, deixar o colo da planta acima do nível geral do terreno (o nível de enchimento da cova deve ficar mais alto que o terreno).
Irrigar com aproximadamente 10 litros de água, após o plantio.

Tirar as ervas daninhas com herbicidas mais o "tratamento de inverno" são os tratos culturais destinados à cultura do pêssego. O "tratamento de inverno" é uma pulverização especial feita às vésperas da florada e da poda, com a finalidade de desfolhar a planta, controlar focos de infestação e quebrar a dormência das gemas.
A pulverização será bastante para a calda escorrer pelos ramos e tronco. As baixas temperaturas de algumas regiões ocasionam a dormência da planta (repouso hibernal).
Quebrar a dormência, pulverizando com produto específico, mais óleo mineral a 80%.

Para o bom desenvolvimento e produtividade da planta, é importante efetuar as podas de formação e frutificação.
A primeira tem por objetivo formar a copa em formato de vaso aberto para facilitar as operações culturais.

Depois de 20 cm do solo, a base da copa deve ter 4 ramos principais em disposição radial em torno do tronco.
Na desbrota do enxerto, escolhe-se os ramos principais que devem ter livre crescimento.

O pessegueiro produz muitos tipos de ramos, podendo surgir alguns doentes, mortos ou mal colocados, que na poda de frutificação tem tratamento especial.
Excluir os ramos que já produziram (pois não produzirão mais), os ladrões e os praguejados.

Ramos novos devem ser ralados ou encurtados no inverno para evitar excessos.
Serão necessários diversos desbastes para manter a qualidade dos frutos: 1º desbaste: deixar 100 frutos por planta (máximo); 2º desbaste: 200 a 300 frutos por planta; 3º desbaste: 300 a 600 frutos por planta; 4º desbaste: 800 a 1.000 frutos por planta; 5º desbaste: 1.000 a 1.500 frutos por planta.

A colheita será realizada nas horas frescas do dia, quando os pêssegos apresentarem amadurecimento completo: uma coloração amarelo-esverdeada ou creme-claro.
Pêssegos colhidos verdes murcham e não amadurecem. Além da cor, o perfume fica acentuado na fase de amadurecimento.

Frutos muito maduros, nota-se que a polpa perde sua firmeza. Jamais apalpar o fruto na colheita, pois poderá causar lesões e prejudicar a conservação.
O modo certo é torcer cuidadosamente o pendúnculo, para não feri-lo. A primeira colheita é realizada no 3º ano de plantio, a produção máxima ocorre entre os 12 e 18 anos.
Os frutos podem ser armazenados em câmara fria, por até 1 semana.