Propriedades da Pimenta      Benefícios da Pimenta      Propriedades da Pimenta      Benefícios da Pimenta
    
    

PIMENTAS:




Informações:
PIMENTAS

PIMENTAS:

Benefícios e propriedades da Pimenta:

A pimenta é o tempero mais utilizado no mundo depois do sal. Cerca de 1/4 da população mundial consome pimenta regularmente.

Por conta da Capsaicina encontrada na pimenta seus benefícios são inumeros, bem como auxilia no combate ao colesterol, melhora a digestão, reduz gases, combate a diarréia, constipações, cólicas e até previne o câncer. Esta substância é o princípio ativo que dá a ela o ardido e o sabor, portanto, quanto mais picante mais deste princípio ela contém. A pimenta atua como um analgésico natural, ocasionando liberação de endorfinas e hormônios.

São vários os benefícios da Pimenta, principalmente contra gripes; resfriados; tem efeito cicatrizante; protege a mucosa estomacal; combate o colesterol; dor de cabeça, etc., além de ser afrodisíaca por aumentar a produção de hormônios. (contraindicada para pessoas com gastrite, úlceras e hemorróidas)

Outro benefício que ela traz é o poder de inibir o apetite, consequentemente para quem quer emagrecer deve adicionar ao cardápio a pimenta vermelha.

A pimenta-de-cheiro; vermelha; malagueta ou comari é também indicada para melhorar o humor, este benefício fica por conta da Capsaicina, a mesma substância que aumenta o desejo sexual. Atua no sistema nervoso, na área ligada ao emocional, diminui o stress e a depressão, consequentemente atuando na questão do humor.

Ela contém quatro vezes mais vitamina C do que a laranja, e vitamina A superior a de muitas frutas. É fonte de vitaminas B, C e E que são excelentes antioxidantes, retardando o envelhecimento precoce, combatendo os radicais livres. Por ser antioxidante, também previne várias doenças, como a asterosclerose e o câncer. Os benefícios da pimenta, com suas propriedades antioxidantes, devem ser considerados a longo prazo ao iniciar algum tratamento.


É cultivada em regiões de clima tropical, onde o plantio pode ser feito em qualquer época do ano, temperaturas inferiores a 15ºC prejudica a planta.
Deve-se plantar em sementeiras, 300 sementes por metro quadrado, sulcos distanciados 10 cm e com 15 a 20 cm de altura já podem ser replantadas em local definitivo. O solo deve ter boa drenagem e pH entre 5,5 a 6,8 com aplicações de calcário e esterco de curral curtido e micronutrientes.
A colheita é feita de 100 a 120 dias após o plantio. A pimenta malagueta produz 10 toneladas por 1 hectare. Após a colheita é recomendado, para maior produção, renovar a plantação.


Veja abaixo alguns tipos de pimentas mais comuns
Pimenta Chili: É uma das 150 variedades da pimenta-malagueta. Extremamente picante, é utilizada na produção de receitas mexicanas e italianas.
É sugestivo para sopas, cremes, molhos de tomate, carnes, aves, frutos do mar e coquetéis.

Pimenta-da-Jamaica: Típica das ilhas caribenhas e do México, é uma das mais apreciadas no mundo inteiro. É a baga de uma árvore aromática muito comum na Jamaica. É encontrada em pó ou em grãos, pouco picante e levemente adocicada, o que faz lembrar a noz-moscada, a canela e o cravo.
Também é conhecida como pimenta síria, por ser muito empregada na culinária mediterrânea.

Pimenta de bode: Bastante picante e aromática, a Capsicum chinense apresenta frutos verdes (não maduros), amarelos ou vermelhos (maduros), arredondados ou achatados, semelhantes à pitanga.
É utilizada como condimento no preparo de carnes, arroz, feijão e muito utilizada em conservas.

Pimenta Habanero: Uma das espécies mais aromáticas. Do gênero Capsicum chinense, é considerada também uma das mais ardidas. Tem o formato de uma lanterna e sabor persistente. Foi a primeira pimenta a ser cultivada pelos Maias.
As cores variam entre amarela, laranja e vermelha e é consumida fresca, seca ou em molhos.

Pimenta-Cumari: É bem pequena, picante e ligeiramente amarga, com pouco aroma. Nativa da mata brasileira, apresenta frutos arredondados ou ovalados, verdes (imaturos) e vermelhos (maduros).
Pode ser encontrada fresca ou em conserva.

Pimenta-Malagueta: A mais empregada na culinária e na medicina popular brasileira. Do gênero Capsicum frutescens, tem frutos vermelhos e pequenos quando maduros, além de aroma e sabor forte e picante.
No Brasil é bastante comum na cozinha baiana. Facilmente encontrada em forma de molhos, nos supermercados.

Pimenta-de-Cheiro: Típica da culinária nordestina, o aroma é marcante, podendo variar de doce, picante moderado e picante forte. É utilizada em saladas e como condimento para carnes, principalmente peixes. Muito utilizada na Bahia em pratos como o xinxim de galinha e bobós.
Pode ser encontrada nas cores amarelo-opaca ou forte, alaranjada, rosa, vermelha e até preta. Também faz parte do gênero Capsicum chinense.

Pimenta-do-Reino: A Piper nigrum, originária da Ásia, é pequena e tem formato arredondado, de coloração verde (não madura) e vermelha (madura). Tem sabor forte e levemente picante.
É a baga de uma trepadeira que se reproduz em todo o mundo tropical e uma das especiarias mais antigas. Pode ser encontrada nas variedades branca, preta ou verde.

Pimenta Calabresa: Não é uma espécie, apenas uma pimenta desidratada que se comercializa na forma de flocos com sementes ou em pó.
No Brasil, utilizam-se, principalmente, as sementes da pimenta dedo-de-moça para a produção. Na culinária brasileira, é empregada na fabricação de linguiça calabresa.

Pimenta Jalapeno: A Capsicum anuum é uma famosa pimenta cujos frutos são cônicos, originária do México, de coloração verde-claro a verde-escuro quando não maduros e vermelha quando amadurecidos.
É consumida fresca, em molho, conserva, desidratada ou em pó é usada em diversos molhos para tacos - tortilhas mexicanas. Quando seca e defumada é conhecida por Chipotle.

Pimenta-de-Caiena: É a mais comercializada no mundo Ocidental. Recebe esse nome por ter sido difundida a partir de Caiena, capital da Guiana Francesa, para a Europa e depois para o restante do mundo.
Da espécie Capsium baccatum, uma variedade da malagueta, conhecida como dedo-de-moça, costuma ser empregada nas cozinhas mexicanas e tailandesas para temperar molhos, peixes e aves.

Pimenta Murupi: Tradicionalmente cultivada na região Norte do Brasil (Amazonas e Pará), a pimenta, também da espécie Capsicum chinense, faz sucesso com seu sabor picante.
Pode ser encontrada fresca, na forma de molhos, ou ainda em conserva à base de vinagre, óleo e soro de leite.
Seus frutos são alongados e, antes de amadurecerem, apresentam coloração verde. Depois, adquirem um tom amarelo, que se intensifica até o vermelho, quando as pimentas estão maduras.

Pimenta Biquinho: Do gênero Capsicum chinense, o condimento atraiu a atenção do mundo inteiro por ser uma espécie sem ardor e doce, e por isso, pode ser saboreada até mesmo como aperitivo.
O alimento mede de 2,5 a 3,5 centímetros, forte aroma e tem a forma de um biquinho, com coloração verde-amarelada e vermelho-brilhante quando maduros.

Pimenta Rosa: A espécie Schinus terebinthifolius Raddi, nativa do Brasil, foi introduzida na culinária por seu sabor suave, adocicado e levemente apimentado.
O que lhe confere esse nome são seus pequenos frutos (bagos) que, durante a maturação, apresentam coloração brilhante e lustrosa, que vai do rosa-claro até o vermelho-escarlate. O óleo essencial desta pimenta é muito utilizado na medicina popular.
Apesar do site ser Frutas do Brasil, é muito interessantes esta matéria sobre propriedades e benefícios da pimenta. Bom proveito.
Não tome nenhum medicamento, mesmo que natural, sem antes consultar um médico.



Veja também:  Ervas Medicinais


Subir

PARA VOLTAR Á PÁGINA PRINCIPAL:  Frutas do Brasil